fbpx
Cidadania Italiana, Vida na Itália

Mercado de Trabalho na Europa

0 comentários

Um dos desejos mais recorrentes de quem está na jornada da cidadania italiana é conhecer a realidade do mercado de trabalho na Europa de modo a avaliarem e se prepararem para eventual transição.

Pensando nisso, o Nacionalitalia se uniu à MoveUp Talents. Consultoria especializada em transição internacional de carreiras para compartilhar rotineiramente informações que podem ajudá-lo nesse importante passo da vida.

Muitos estrangeiros sonham em conquistar o seu lugar no mercado de trabalho na Europa. Os 50 países que fazem parte do continente europeu exercem uma enorme influência política, econômica e cultural no mundo todo. Sendo assim, é muito atrativo para quem quer melhorar a qualidade de vida, adquirir uma boa formação e novas oportunidades profissionais, ou até mesmo aperfeiçoar um idioma, morando fora do país de origem. 

Independente do motivo da busca de trabalho na Europa, é importante entender que cada país possui características muito particulares e as exigências de mercado podem variar de acordo com a posição geográfica. Porém, de forma geral, o investimento na Europa tem sido alto e a projeção é que, nos próximos 5 anos, pelo menos 11 milhões de empregos sejam criados no território. 

Há escassez de profissionais em muitos países

Uma das características mais marcantes do mercado de trabalho na Europa e que interessa aos imigrantes é que, praticamente todos os países possuem uma lista, bem direcionada, de critical skills. O termo em inglês define profissões com escassez de profissionais qualificados, do qual a demanda atual regional não tem sido atendida. 

Essa é uma informação essencial até mesmo no período preparatório, antes de ir morar nesses países, pois entender onde será mais relevante profissionalmente poderá ser um diferencial. Aumentará as chances de conseguir um emprego e também um visto de trabalho caso você não seja cidadão europeu.

Contudo, tendo ou não a profissão na lista de critical skills, com uma boa preparação, poderá conquistar a oportunidade de trabalho que deseja, na sua área de formação. 

Há consultores de carreira atualmente que são especialistas em transição de carreira para o mercado europeu e que, de forma individualizada, podem ajudar. Como a MoveUp Talents, que atua no mercado europeu há 3 anos e já atendeu mais de 300 profissionais.

Fora isso, ter uma nacionalidade europeia, como a Italiana, bastante comum no Brasil pela grande imigração, poderá ser um facilitador para viver legalmente na Europa. Consequentemente, ter mais chances de conseguir um trabalho na sua área. 

Entre os países que compõem a União Europeia (UE), seus cidadãos possuem liberdade para estudar, trabalhar, viver e até se aposentar. 

Vantagens e desvantagens de trabalhar na Europa

Há sempre muitas vantagens para viver nos países europeus como qualidade de vida, segurança e educação. Em alguns lugares o custo de vida também é considerado mais justo em relação aquilo que se ganha. Há ainda facilidades para viajar, conhecer novas culturas e desenvolver idiomas. 

Da perspectiva profissional, há também a oportunidade de trabalhar em empresas multiculturais, desenvolver competências e agregar, ainda mais valor, ao currículo.

Entretanto, nem tudo é fácil quando se está morando fora e há também alguns desafios nesse caminho.  Para os profissionais que nunca tiveram a experiência de viver em outros países e estar longe da família e dos amigos, sem dúvida, a saudade é uma ponto importante. 

Outros fatores, como o choque cultural, a alimentação, burocracia na hora de conseguir documentos e vistos, custo de vida e dificuldade para conseguir o primeiro emprego na área poderão estar na lista. 

Quais são as exigências básicas para conseguir um trabalho na Europa?

Mesmo tendo uma profissão em critical skills, é importante entender que o mercado de trabalho europeu é extremamente exigente e qualificado. Ali estão muitos dos países mais ricos do mundo que investem em educação de qualidade e querem manter o seu nível de desenvolvimento socioeconômico no topo. 

Assim, ter um currículo bem estruturado para se apresentar de forma atrativa para as empresas deve ser uma preocupação. Dependendo da formação, muitos países podem exigir ainda a validação do diploma. Falar um outro idioma com fluência, principalmente o inglês, mesmo em Portugal, por exemplo, é essencial para uma oportunidade de trabalho melhor. 

Como planejar a transição de carreira e conseguir entrar no mercado na Europa

Se você busca uma nova oportunidade de trabalho terá alguns desafios pela frente, mas vamos começar com uma pergunta: você sabe se vender?

Muitos profissionais tem dúvidas sobre o quão atrativos são para o mercado de trabalho na Europa e em quase 90% dos casos, o que os impedem de conquistar um emprego mais rápido não é a experiência que possuem, mas a forma como se apresentam. 

Em qualquer entrevista de emprego, é importante lembrar que, a grosso modo, o profissional precisa vender a sua imagem e experiência, e precisa se mostrar altamente atrativo pelo que é e o que poderá acrescentar à empresa.

Deverá chamar primeiro chamar à atenção com um currículo, uma carta de apresentação muito bem escrita e um perfil do LinkedIn atualizado e estratégico para que se destaque. 

O CV deve estar escrito em inglês. Existem vários países, mesmo os que não falem inglês como a primeira lingua, que apreciam o currículo no idioma como é o caso de Portugal, Holanda, Alemanha, Polônia e Estônia. 

Melhorar suas habilidades de comunicação também é um diferencial já que o desempenho na entrevista é um fator determinante. Nenhum desses itens são impossíveis de desempenhar. Há muitos estrangeiros que estão atuando no mercado de trabalho da Europa!

Entretanto, a maioria dos candidatos não estão preparados para os processos seletivos como um todo e não sabem nem por onde começar, quando se trata de encontrar um emprego. Acompanhe as dicas que a Débora Silva, CEO da MoveUp Talents, preparou:

4 dicas que podem te ajudar 

  1. Avalie sua carreira – Identifique o seu emprego ideal ou a nova carreira que quer seguir, e assim direcionar os passos que terá que tomar. 
  2. Crie uma estratégia – Busque informações de mercado e identifique quais são as habilidades que possui e quais quer desenvolver. Trace uma estratégia real sobre onde quer estar e como fará isso. 
  3. Desenvolva sua marca profissional – Destaque seus pontos fortes e habilidades em seu currículo, carta de apresentação e perfil do LinkedIn, mas também na apresentação pessoal, incluindo em cada momento que precisar, na falas que fará, nos processos seletivos. 
  4. Prepare-se para entrevistas e negociações – Quanto mais estudar as empresas que busca trabalhar e tiver conhecimento de como é o mercado, mais fácil e seguro estará para mostrar os valor que possui e convencer os recrutadores dele. 

A consultoria de carreira internacional apoia aquele que quer imigrar e crescer profissionalmente em outro país. Se procura um novo desafio profissional, ou está em fase de transição de carreira, este é o seu próximo passo: conheça a MoveUp Talents e entre em contato.

Apostilamento dos Documentos italianos
Documento italiano: civil ou religioso? Batismo ou certidão de nascimento?
@nacionalitalia

Quem Escreve

Claudia Scarpim
Claudia Scarpim

Claudia Scarpim

Italo-brasileira, advogada por formação e apaixonada por genealogia e pela história da imigração italiana para as Américas. Resolvi deixar a vida corporativa de São Paulo, para viver na Itália e ajudar outras pessoas a realizarem o sonho de resgatar sua história e suas origens e conseguir a cidadania italiana!