Vida na Itália

Eleições na Itália: Não perca! Hoje é o último dia.

01 mar 2018  |  0 comentários

 

A Itália elegerá no dia 04 de março de 2018 os seus representantes no Poder Legislativo. Serão 945 vagas – 630 deputados e 315 senadores.

Senado e Câmara foram dissolvidos pelo presidente da República da Itália Sergio Matarella, em 28 de dezembro de 2017, e as eleições gerais foram convocadas para o próximo domingo.

A Lei 459/2001, conhecida como Lei Tremaglia, batizada com o nome do seu propositor, e o Regulamento de Execução DPR 104/2003, concede a todo cidadão italiano que residir no exterior a possibilidade de votar nas eleições italianas para eleger seus representantes para a Câmara dos Deputados e o Senado, bem como para referendos e plebiscitos.

A Itália dividiu o território exterior em 4 repartições:

Europa e territórios asiáticos da Federação da Rússia e Turquia

  • América Meridional
  • América Setentrional e Central
  • África, Ásia, Oceania e Antártica

São eleitos um total de 18 parlamentares, sendo 12 deputados e 6 senadores, número proporcional a quantidade de italianos residentes no exterior. Para a América do Sul são 4 deputados e 2 senadores. Nesta repartição concorrem 24 ítalo-brasileiros e/ou italianos natos residentes no Brasil.

Para votar é preciso estar com o AIRE –  Cadastro dos italianos residentes no Exterior – em dia e o voto é por correspondência e podem votar para Senador maiores de 25 anos e para Deputados, maiores de 18 anos.

O voto no exterior somente não é previsto para eleições do Conselho Regional, Municipal e Provincial.

A despeito do esforço dos consulados em distribuir as cédulas de votação, nem todos os inscritos na lista eleitoral receberam as cédulas de votação, por isso, os consulados de São Paulo, Recife, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte e Brasília receberão excepcionalmente os cidadãos para votar presencialmente. O prazo é até hoje, 01 de março às 16:00 (hora local).

Os consulados farão as coletas de cédulas e serão enviadas à Itália para apuração.

Um dos grandes desafios dos candidatos durante a campanha foi vencer o histórico de participação dos italianos nas eleições cujo percentual de participação é de apenas 35%. Com campanhas difundidas majoritariamente pela internet, os candidatos apresentaram propostas ligadas aos serviços consulares, manutenção dos direitos ligados ao reconhecimento da nacionalidade por filiação, aplicação de recursos na rede consular, melhoria das propostas de difusão da cultura italiana no Brasil.

Já na Itália, a disputa segue acirrada. As principais coligações têm percepções muito distintas em temas centrais para o italiano como impostos e imigração.

As últimas pesquisas apontam vantagem da coalização de centro direita formada pela Lega Nord de Salvini, Forza Itália de Berlusconi, Fratelli d’Italia de Gergia Meloni e Noi com l’Italia.

Para conhecer as propostas de todos os partidos basta acessar https://www.termometropolitico.it/elezioni-politiche-2018 e consultar as propostas dos candidatos.

Acompanhe o Nacionalitália para saber os resultados das eleições.

 

Arriverderci!

 

 

Saiba qual é a diferença entre CNN e a não-renúncia (non rinuncia)
Lista de Convocados é liberada pelo Consulado de BH!
@nacionalitalia

Quem Escreve

Claudia Scarpim
Claudia Scarpim

Claudia Scarpim

Italo-brasileira, advogada por formação e apaixonada por genealogia e pela história da imigração italiana para as Américas. Resolvi deixar a vida corporativa de São Paulo, para viver na Itália e ajudar outras pessoas a realizarem o sonho de resgatar sua história e suas origens e conseguir a cidadania italiana!